A Grande Depressão e a Política Fiscal Anticíclica na Teoria Keynesiana

Nome: Thiago Salles da Silveira
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 05/06/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Rogério Arthmar Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Alexandre Flávio Silva Andrada Examinador Externo
Alexandre Ottoni Teatini Salles Examinador Interno
Rogério Arthmar Orientador

Resumo: A presente dissertação tem como tema central examinar a política fiscal via investimento e via gastos sociais como instrumento anticíclico de regulação da demanda agregada de modo a manter a economia em níveis de atividade tão próximos do pleno emprego. Para tanto, foi resgatado o cenário econômico da Grande Depressão e as suas principais interpretações. A análise deste período de recessão é pertinente, pois foi neste cenário de elevado nível de desemprego, queda da produção e deflação dos preços, que John Maynard Keynes desenvolveu, em 1936, sua principal obra, A Teoria Geral do Emprego, do Juro e da Moeda, doravante Teoria Geral, baseada no princípio da demanda efetiva, em contraposição ao arcabouço teórico da economia ortodoxa, ou seja, a Lei de Say. A partir de então, Keynes verifica que as flutuações cíclicas ocorrem devido à insuficiência de demanda efetiva derivada da queda da eficiência marginal do capital e, assim, legitima a intervenção do Estado na economia através de políticas econômica, principalmente, a política fiscal, via multiplicador, para estabilizar o nível de renda e emprego.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910